História


O Humanitas - Núcleo de Atendimento Especializado em Educação - iniciou suas atividades em 2003.

A equipe de profissionais que fundou o Humanitas formava um grupo técnico que oferecia seus serviços dentro de uma instituição de ensino regular. Tratava-se de um trabalho que consistia, basicamente, no acompanhamento de crianças com deficiência, numa tentativa de incluí-las em classes comuns de ensino, de modo que conseguissem adquirir e desenvolver conhecimento acadêmico. Esse trabalho era fundamentado nas áreas da Psicologia Escolar e da Fonoaudiologia.

No final do ano de 2002, a necessidade de alcançarmos maior independência na condução de nosso trabalho, bem como a de ampliarmos nossa possibilidade de atendimento para além da instituição escolar que nos abrigava, levou-nos à fundação do Humanitas – Núcleo de Atendimento Especializado em Educação. Assim aconteceu, no dia 20 de dezembro de 2002.

Nossas atividades iniciaram-se efetivamente em janeiro de 2003, quando contávamos com uma equipe reduzida, formada por duas psicólogas e uma fonoaudióloga.

Nos primeiros meses de trabalho, o público que atendíamos era formado majoritariamente por crianças e adolescentes com deficiência, inseridos em escolas regulares. Com o tempo, esse público foi se diversificando: passamos a atender alunos que, apesar de não apresentarem nenhum tipo de deficiência, encontravam dificuldades acentuadas para acompanharem com sucesso os processos acadêmicos.

Dessa forma, foi preciso diversificar também os serviços oferecidos, especialmente os voltados para a área escolar, ou seja, passamos a desenvolver propostas diferenciadas dentro da área psicopedagógica, tais como o Acompanhamento Escolar e o Aprimoramento das Habilidades de Compreensão e Elaboração de Textos, uma vez que esses eram os aspectos mais comprometidos nos alunos que recebíamos para avaliação.

O aumento das atividades desenvolvidas, bem como da procura pelos serviços oferecidos, fez com que optássemos pela mudança de endereço, que aconteceu em julho de 2004. A nova sede, que ocupamos até hoje, possibilitou o acréscimo, entre nossas atividades, da área da Psicologia Clínica, outro serviço bastante procurado pelas famílias que buscavam avaliações. Foi necessário também aumentar a equipe envolvida que, ao final de 2005, já incluía, além do grupo original, duas pedagogas e duas psicólogas clínicas.

No ano de 2006, avaliamos que grande parte dos casos que recebíamos necessitava de uma abordagem diferenciada no seu estudo. Eram crianças e adolescentes cujo comprometimento ultrapassava as questões pedagógicas e psicológicas, avançando para a área da Neurologia, o que requeria uma investigação também voltada para aspectos do funcionamento neurológico. Assim, incluímos entre nossos serviços a Avaliação Neuropsicológica, que se constituiu numa outra possibilidade de ampliação da equipe e, consequentemente, da nossa visão para a análise dos casos que recebemos.

Neste mesmo ano, iniciamos a elaboração de um projeto, cujo objetivo primordial era atender a uma população de jovens que frequentaram escolas regulares por um tempo, mas, sem condições de prosseguirem no aspecto acadêmico, deixaram de estudar, mantendo-se sem atividades por falta de alternativas adequadas às suas necessidades. Desse trabalho de elaboração nasceu o “Programa Raízes e Asas”, constituído por um quadro de atividades que abordam os aspectos que julgamos essenciais para que esses jovens se apropriem do meio social e ganhem autonomia: desenvolvimento cognitivo, bem-estar físico e mental e acessibilidade cultural. A primeira turma do programa iniciou suas atividades em fevereiro de 2007.

Atualmente, temos, em nosso quadro, profissionais das áreas de Psicologia (clínica e escolar), Neuropsicologia, Psicopedagogia, Pedagogia, Fonoaudiologia e Fisioterapia. Formamos, portanto, uma equipe interdisciplinar para o estudo e tratamento das dificuldades escolares e de desenvolvimento da criança e do adolescente, assim como do estado emocional de adultos. Nossos profissionais atuam desde a etapa diagnóstica até a de intervenção, seja ela clínica ou escolar.