Projeto Raízes e Asas



“Se as coisas são inatingíveis... ora!

                                                            Não é motivo para não querê-las...
                                                           Que tristes os caminhos, se não fora
                                                           A mágica presença das estrelas.”

                                                                                        Mário Quintana

O termo “INCLUSÃO”, tão discutido nos últimos tempos, nos leva a uma reflexão sobre a realidade de fatos que, certamente, têm afligido um grande número de famílias, nas quais um dos membros tenha algum tipo de deficiência.
Para nós da Equipe Humanitas, esse termo tem um significado que vai além da inserção nas instituições sociais. Para nós, incluir denota assegurar às pessoas o direito ao desenvolvimento, em todos os aspectos possíveis. Por isso, a inclusão que realmente se efetiva é aquela “trabalhada”: cercada, estudada e planejada para que ofereça atividades que, de fato, lhes proporcionem ganhos. Sabemos que a escola regular pode oferecer isso, mas também sabemos, pela experiência que adquirimos, que, a partir de determinado ponto do desenvolvimento dos alunos, esta instituição não mais lhes garante o acesso a essas atividades.
            O “Programa Raízes e Asas” nasceu dessa reflexão. Ele visa ao atendimento de adolescentes e/ou jovens adultos que frequentaram escola regular durante alguns anos e que, por restrições, próprias ou da funcionabilidade do sistema educacional brasileiro, interromperam sua trajetória nessas instituições. Portanto, planejamos reunir esses jovens num grupo, desenvolvendo com eles atividades muito próximas ao seu cotidiano, visando a uma independência possível, considerando as características de cada um.
            Elaboramos, então, um quadro de atividades que abordam os aspectos que julgamos essenciais para que estes jovens se apropriem do meio social e, com isso, ganhem maior autonomia. Por isso, as atividades programadas objetivam, além da inserção em um grupo, o desenvolvimento cognitivo, o bem-estar físico e mental, e a acessibilidade cultural.
São atividades como expressão corporal, alongamento, impostação de voz, ateliê de artes plásticas, leitura diária de jornal, discussões sobre sua condição na sociedade, projeção de filmes, leitura de histórias, preparação de refeições rápidas, cuidados com o corpo, compreensão e emprego do sistema monetário, além do planejamento de excursões na cidade.
Trabalhamos sempre com módulos temáticos que, após definidos, são integrados em todas as atividades propostas, ou seja, todos os profissionais envolvidos abordam o mesmo assunto, embora com os recursos específicos de suas áreas. Dessa forma, o desenvolvimento do programa ocorre por módulos planejados de modo a garantir a assimilação das informações, sua prática e a verificação de sua recorrência nas diferentes áreas trabalhadas.
Este programa é desenvolvido de 2ª à 5ª feira, internamente, no período da manhã, e, às 6ªs feiras e/ou finais de semana, o horário é complementado com saídas para atividades práticas, através de excursões pela cidade.
Temos obtido ótimos resultados com o desenvolvimento das atividades: observamos a aprendizagem dos conteúdos expostos e o aprimoramento das habilidades trabalhadas; o estabelecimento de novos hábitos de comportamento e de diferentes olhares para o que antes nem sequer era notado; o surgimento de uma possibilidade, ainda que limitada, de independência...

            Trata-se de um programa que pretende “criar as asas”, sem se esquecer de “fundamentar as raízes”.